• Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle

© 2016 por SF Produções

Cachoeira Paulista

Um dos primeiros povoados da região, Capitão Manoel da Silva Caldas, doou, em 1780, uma gleba de sua propriedade ao Senhor Bom Jesus da Cana Verde, aí construindo, cinco anos depois, uma capela ao redor da qual se formou uma pequena povoação. O intenso movimento de tropas oriundas de Minas Gerais rumo aos portos de Parati e Mambucaba, que faziam parada no povoado, para abastecimento, fez surgir vários estabelecimentos comerciais e conseqüente desenvolvimento das atividades agrícolas. O porto Canoeiro implantado anos mais tarde, na barra do rio Bocaina, afluente do rio Paraíba, possibilitou o comércio com as localidades a oeste, no vale do rio, com a baixada fluminense, mantendo o carater comercial da povoação, principalmente quando o café começou a ser cultivado no vale do Paraíba. Nessas condições, foi criada a freguesia em 1876, no povoado então conhecido por Santo Antônio do Porto da Cachoeira, cujo nome invocava o Santo padroeiro e 
o rio Paraíba que nas proximidades apresenta muitos pontos encachoeirados. Quatros anos depois a freguesia foi elevada à Vila. Alterando sua denominação para Santo Antônio da Bocaina, devidos às grandes serras desse nome que cercam a localidade. Os trilhos da ferrovia D. Pedro II, atual Central do Brasil, atingiu a povoação em 1871, ligando-a à Barra do Piraí e Vargem, no trecho carioca. O prolongamento no território Paulista, que se iniciou a partir de São Paulo, tardou para atingir a região e, assim, o núcleo sediou nesse período, o comércio cafeeiro do médio Paraíba. No entando, quando o café entrou em decadência no Vale do Paraíba, sofreu uma retração no seu progresso, reativando com a introdução da pecuária e mais tarde, com a implantação da Rodovia Presidente Dutra, ligando as duas metrópoles, São Paulo e Rio de Janeiro. O topônimo Cachoeira, adotado em 1915 e substituído em 1944, foi readotado em 1948, acrescido de "Paulista".

 

Fonte: http://cidades.ibge.gov.br/​

O que visitar:

Canção Nova – Território Eucarístico - Estação Ferroviária - Igreja do Bom Jesus - Igreja Matriz de Santo Antonio - Igreja São Sebastião - Mirante - Parque Ecológico Nelson Lorena - Teatro Municipal - Santuário Nacional de Santa Cabeça.

 

Calendário dos principais Eventos:

Janeiro
- Festa de São Sebastião
Fevereiro
- Carnaval e Festa do Judas
Março
- Emancipação Política
Abril
- Páscoa e Semana Santa
Maio
- Cavalgada à Aparecida (2º Domingo de Maio)
- Festa de São Benedito
- Bairro do Pitéu
- Festa de Santa Cruz
Junho
-1 à 13 - Festa do Padroeiro
- Santo Antônio
- Festa de São Pedro e São Paulo
Julho
-Não tem nada
Agosto
- Festa de Bom Jesus da Cana Verde
- Festa de Nossa Senhora da Conceição
Setembro
- Festa de Nossa Senhora da Boa Viagem
- Madrinha dos Ferroviários
- Festa de Nossa Senhora da Guia 
- Bairro do Quilombo
Outubro
- Festa de Nossa Senhora Aparecida
- Bairro do Parque da Primavera
- Torneio Leiteiro
Novembro
-Não tem nada
Dezembro
- Festa de Santa Cabeça - Procissão da Praça Central até o Santuário de Santa Cabeça. (2º Domingo de Dezembro).​

 

Onde comer:

Ainda não disponível

 

Onde dormir:

Ainda não disponível

 

Vídeo:

Ainda não disponível

 

Revista:

Ainda não disponível

 

Parceiros locais:

Ainda não disponível

 
Santuário Nacional de Santa Cabeça

Localizado na área rural da cidade, o Santuário realiza no segundo domingo do mês de dezembro, a tradicional festa religiosa, que conta com milhares de fiéis de todas as partes do Brasil, que participam da romaria e procissão. Foto: Aniello de Vita - Expressão Studio